Abraão, a esperança do pai da fé


Abraão, a esperança do pai da fé
Lição 3 - 16 de Outubro de 2016
ABRAÃO, A ESPERANÇA DO PAI DA FÉ
TEXTO ÁUREO: "Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia." (Hb 11.8)
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Gênesis 12. 1-10
Introdução: A fé é o maior poder que pode existir na vida do cristão e para ser efetiva não podemos confiar em coisas visíveis deste mundo, e sim nas realidades invisíveis de Deus. Todos os que professam Cristo são chamados a viver pela fé, caso contrário não estamos agradando a Deus. A fé não é algo complexo, pois ela é exercida de maneira simples, porque ela vem pelo ouvir e o ouvir da palavra de Deus. Para exercê-la é preciso confiar na palavra e agir de acordo com ela, a despeito das circunstâncias e das consequências. Mesmo que tudo possa parecer assustador e desconhecido, se obedecermos à palavra de Deus e crermos que Ele fará o que é certo e melhor, certamente alcançaremos os nossos objetivos. Há vários tipos de fé que só se tornam efetivas quando ela é exercida por alguém que crê. A fé sendo um substantivo somente se torna eficaz quando ela é verbalizada e para isso acontecer é preciso crer para se tornar uma fé objetiva. Dentre os frutos do espírito, que devemos desenvolver, está incluída a fé a fim de que seja algo contínuo na vida do crente. Para o homem ser verdadeiramente espiritual, ele deve necessariamente praticar o exercício da fé em toda a sua caminhada com Cristo. Sem o exercício da fé é impossível agradarmos a Deus, pois ela é um atributo da alma impreensindivel na vida do cristão. A fé também é condicional ao conhecimento da palavra, pois ela vem pelo ouvir e ouvir a palavra de Deus. A fé é usada em várias situações, tais como nos milagres, curas, pregação, louvor, evangelização, salvação, provisão e muito mais, isto porque ela é um dom e uma operação do Espírito Santo. Abraão é conhecido como o pai da fé por existir fortes razões para isso. Mesmo com pouco conhecimento de Deus, ele creu na sua existência, tanto que creu na primeira promessa que lhe fora feita, tanto para sair da sua terra, como sobre a sua descendência, também a promessa de ter um filho com Sara já em idade avançada. O ápice da demonstração de uma fé elevada foi quando Deus pediu o seu filho Isaque em sacrifício e ele sem questionar cumpriu o ritual até o momento que Deus interrompeu. A fé de Abraão foi provada e aprovada, pois se Deus não impedisse a consumação do sacrifício de Isaque ele certamente teria sido completado. Significa que para Deus o sacrifício foi aceito visto que a obediência de Abraão na sua intenção foi completa valendo assim a sua intenção como se tivesse feito.
I - NA CHAMADA DE ABRAÃO, DEUS INICIOU O SEU GRANDE PROJETO  
1. O projeto divino de abençoar os povos da terra estava nessa chamada.  
Gn 12.1 - Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei.
A nação de Israel começa com o chamado de Abraão, o qual foi escolhido por Deus dentre todos os homens da terra que tinha qualificações para o cumprimento dos seus planos de formar uma grande nação. Deus havia dito em Gênesis 3.15 sobre a semente da mulher e esta promessa seguiria um curso genealógico pelo período antediluviano e posteriormente pós-diluviano no meio de uma geração novamente corrompida, até chegar a Abraão. A semente seguiria um curso de uma só linhagem, ou seja, a linhagem do Pai da fé, Abraão. Até esse ponto da chamada de Abraão, não havia distinção entre judeus e gentios; todos eram um só no primeiro homem, Adão. A partir da chamada de Abraão Deus passaria a ter um povo exclusivo para ser uma nação santa habitando entre um povo pagão. Essa chamada propiciou ao homem um novo tipo de relacionamento com Deus e os homens, relacionamento este, que estabeleceu uma nova dispensação, a dispensação patriarcal. Abraão ao receber sua chamada não questionou com Deus e saiu sem saber para onde ia. Saiu da sua zona de conforto e segurança trocando pela fé o certo pelo incerto. Porém sendo um homem que já exercitava a sua fé sabia que o certo aos seus olhos, não era o certo, e que o incerto de Deus é que era o certo. O local da chamada foi Harã e não foi fácil deixar amigos, parentes e familiares para seguir a ordem divina, porém ele não vacilou na fé e seguiu adiante sabendo que a obediência a instrução divina leva o homem a conquistar milagres.
2. Quando há fé não existe incerteza de acreditar no projeto divino.  Gn 12.2 - E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e tu serás uma bênção.
Quantos planos para o futuro já fizemos para a nossa vida, mas após abraçarmos a fé cristã e nos colocarmos na condição de servos, todos esses planos são vistos como coisas sem valor algum, pois sabemos que Deus sempre tem em mira coisas maiores daquilo que imaginamos. Todo crente tem promessa de Deus em sua vida, assim como teve Abraão, porém elas não acontecem imediatamente, pois exigem esforço e obediência para que tenham cumprimento. Deus tem um plano, mas nós temos de colocá-lo em execução, isso até onde pode ir os nossos limites. Abraão teve fé suficiente para pôr em prática a execução das promessas divinas. Muitos crentes não as alcançam, pois desistem facilmente quando se deparam com as dificuldades do caminho.
3. Um projeto para abençoar as nações além da imaginação humana.  Gn 12.3 - E abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.
Partindo do princípio que Israel estaria coberta pelas bênçãos divinas propesperando em tudo, isto seria testificado às outras nações pagãs para que se voltassem ao Deus de Israel. A condição imposta envolvia duas situações as quais seriam: bênçãos e maldições. Quem fosse a favor de Israel, seria abençoado e quem fosse contra, seria amaldiçoado. Essas bênçãos se estenderiam a todas as famílias da terra e o seu ápice se culminaria em Cristo, pois a maior bênção vinda através dele seria a salvação eterna pelo seu plano remidor.
II - A PROVISÃO DE DEUS SÃO GARANTIDAS QUANDO SOMOS FIÉIS
1. Abraão sai da sua terra sem relutar trocando o certo pelo incerto
Gn 12.4-8). 4 - Assim, partiu Abrão, como o SENHOR lhe tinha dito, e foi Ló com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos, quando saiu de Harã.
As promessas envolviam que uma grande nação viria por meio dele, seu nome seria engrandecido como o pai de multidões, sendo conhecido em todo o mundo em todos os séculos; seria fonte de bênçãos como também de maldições, condicionais ao que retribuíssem a ele. Essas são as promessas grandiosas que Abraão recebeu de Deus, o qual creu aceitando com convicção e entusiasmo. As instruções divinas quando seguidas sem alterações levam a um caminho de vitórias diante de qualquer situação por mais adversas que sejam.
2. Abraão enfrenta escassez em Canaã e sai fora da direção divina
Gênesis 12.9 - Depois, caminhou Abrão dali, seguindo ainda para a banda do Sul. 10 - E havia fome naquela terra; e desceu Abrão ao Egito, para peregrinar ali, porquanto a fome era grande na terra.
A viagem de fé tinha como destino a terra de Canaã. Ali estava o destino que o esperava, onde estabeleceria uma pátria, a qual seria conquistada. Surgiriam obstáculos no caminho, sendo que até em certos pecados Abraão cairia, pois todos somos falhos, mas ele tinha um coração sincero diante de Deus e esse era um requisito virtuoso de grande excelência diante do Senhor. Ele prosperou, pois seu coração era por demais sincero, o que superava os seus lapsos. O propósito de Deus em permitir provações não somente avalia a nossa fé, mas também opera um poder purificador para remover todas as impurezas do nosso coração. A nossa fé contrariando muitos adeptos da teologia da prosperidade, sempre enfrentará uma série de problemas novos. A diferença é que nos problemas a serem enfrentados contamos com a presença do Senhor e podemos pela fé saber que não enfrentamos os nossos problemas sozinho. Lembre-se que fugir dos problemas nunca dá certo.
3. Abraão enfrentou a esterilidade de sua esposa, a qual Deus reverteu.
Gênesis 11.30 E Sarai foi estéril, não tinha filhos.
O triste fato de Sarai ser estéril era um grande problema e isso veio causar uma série de precipitações que se culminaram desastrosos na família de Abraão. Aos setenta e cinco anos de idade é que Abraão foi chamado por Deus e passou a ter experiências mais fortes com Ele. Para Deus o fato de Sarai ser estéril mostrou-se uma oportunidade para Ele agir miraculosamente na vida dela. Aos olhos de todos, inclusive do próprio casal diante ao fator idade, no caso de Sarai, como também dela ser estéril, eles eram os candidatos com a menor probabilidade de ter uma família e de serem pais de uma grande nação. Mas os pensamentos de Deus, não são os nossos pensamentos, nem os nossos pensamentos são os pensamentos de Deus. Isso revela que os caminhos de Deus não são os nossos caminhos e através daquele casal estéril, Deus revelaria a sua glória e a grandeza de seu poder abrindo a madre de Sarai para que ela engravidasse de Isaque. (Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, Efésios 3:20).
III - AS EXTENSIVAS PROMESSAS DE DEUS NA VIDA DE ABRAÃO
1. Somos parte da promessa "Far-te-ei uma grande nação e abençoar-te-ei".
Gênesis 13.2  E era Abrão muito rico em gado, em prata e em ouro.
Abraão e Sarai retornaram do Egito, onde havia estado motivado pela fome que assolou a região e Canaã, passando pelo Neguebe, uma região onde poderiam ter armado as suas tendas com a sua considerável riqueza de animais, prata e outro. De lá, viajaram para Betel, o lugar onde Deus havia feito a Sua aparição. Chegando a Betel, novamente Abraão invocou o nome do Senhor. A jornada de Abraão ao Egito trouxe resultados negativos, pois estava fora da direção de Deus e como uma forma de reparar o seu erro, ele retornou para onde havia estado antes da fome tê-lo impelido dali. Ele voltou fazendo o mesmo trajeto, vindo pela mesma estrada, parando nos mesmos lugares de descanso, como quando descera do Egito. Essa excursão para o Egito apesar de todos os contragimentos que ele enfrentou foi proveitosa no sentido material, pois acumulou muito dinheiro e possessões, mas que quase lhe custa a vida e o seu casamento se não fora a intervenção divina. Pela sua mentira a Faraó, Abraão foi humilhado e repreendido e expulso do Egito. Precisou dessa lição para voltar ao bom senso, e assim retornar ao seu legítimo lugar: o altar. Excursões ao Egito que simboliza o mundo de pecado são extremamente perigosas para um cristão, pois a vida sagrada deve ser vivida no espírito de adoração e no serviço do Senhor. Os erros podem ser reparados quando há arrependimento e humilhação diante do Senhor.
2. Pela conduta de fé, Deus honrou a Abraão "Engrandecerei o teu nome".
Abraão pela sua conduta de fé diante de Deus foi exaltado tendo um nome vivo na memória das pessoas muito depois de sua existência física. Isso representava para ele uma honra suprema. Essa é uma das razões porque Abraão é um dos nomes mais honrados na história. Sob o desígnio divino se tornou uma bênção para todos que servem ao Senhor, tanto na antiga aliança, como na nova aliança. Assim todas as famílias da terra que professam a fé em Deus, isso tanto os da descendência biológica, Israel, como da descendência espiritual, no caso a igreja de Cristo.
3. Promessa cumprida "Em ti serão benditas todas as famílias da terra".
Para Abraão e Sara seria difícil compreender como Deus iria abençoar todas as famílias da terra através deles, visto que Sara e idosa e estéril. Porém o que Deus prometeu se cumpriu exatamente como ele disse e assim a partir deles procedeu a nação de Israel, e de Israel procedeu as Escrituras e o Salvador Jesus Cristo. Ao longo dos anos, Deus ampliou diversos elementos da aliança feita com Abraão, dando ao casal elementos suficientes para que cressem nele e vivessem pela fé. Como ninguém é perfeito, Abraão teve que conviver com alguns vacilos visto que o Diabo é um constante tentador para minar a nossa fé para sermos atingidos pelas suas maldades. Para nos livrar das suas armadilhas precisamos centralizar a nossa fé em Deus e nos apoiarmos na sua palavra.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Google Analytics