Inspiração divina e autoridade da bíblia

Inspiração Divina e Autoridade da Bíblia
Lição 1 - 2 de Julho de 2017
Texto Áureo: "Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo." (2 Pe 1.21)
Leitura Bíblica em Classe: 2 Timóteo 3.14-17

Introdução: O Antigo Testamento diz muito a respeito de Cristo, mas os israelitas, principalmente os eruditos não consideraram isso devidamente. As autoridades religiosas que manejavam a palavra, na realidade se limitavam mais em decorá-la, ou recitá-la, quando falavam, tanto no templo, como nas sinagogas. Esse meio limitado de trabalhar com a palavra, não dava margem de uma compreensão, mesmo que tênue a respeito do Messias na sua missão terrena. Eles realmente manuseavam as escrituras, mas não há examinavam dentro de uma ótica mais aprofundada, pois se não estivessem deliberadamente cegos, eles teriam crido em Cristo. Jesus disse para examinar as escrituras e essa orientação não significa simplesmente ler, ou decorá-la, mas sim sair da superficialidade dela e procurar se aprofundar para poder ter uma compreensão mais apurada dos seus escritos revelados pelo Espírito Santo. A bíblia sagrada é como uma mina cheia de pedras preciosas, que precisam de muita escavação para encontrá-las, e isso exigem muito esforço e dedicação. Devemos examinar sempre as escrituras porque nela estão todas as condicionais para que alcancemos a vida eterna. (Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; João 5:39). A bíblia segundo os pesquisadores foi escrita por cerca de quarenta autores, num longo período de mil e seiscentos anos. São sessenta e seis livros que compõe a Canon, sendo trinta e nove livros no A.T. e vinte e sete no N.T. Alguns livros foram escritos pelos próprios autores e outros por algum amanuense, sendo que alguns desses foram testemunhas dos fatos ocorridos e outros com os relatos dos próprios autores, sendo tudo escrito com a inspiração do Espírito Santo. Foi escrita por homens doutos e indoutos, portanto há o elemento humano na elaboração dos escritos sagrados. É totalmente perceptível os traços da pessoalidade humana por toda a Bíblia, mas em todos os seus textos e contextos a inspiração divina está presente em toda a sua completude. Essa é a garantia de que a Escritura é inerrante em todos os seus livros. A completude das escrituras sagradas, só é possível pela junção do Antigo Testamento com o Novo Testamento, pois um completa o outro. O N.T foi escrito em grande parte com a extração dos escritos do A.T., principalmente no que tange as profecias, e essa concordância entre os dois testamentos, são uma demonstração da verdade de ambos. ("Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos." Salmos 119:105). Quem pratica a verdade vive com os seus caminhos iluminados pela palavra, mas os que distorcem a verdade estão bem distantes dela. Quem prega a verdade não fala do que vem da sua própria mente, pois se não houver a inspiração divina, o que pregamos não tem a autoridade divina. Quanto aos falsos pregadores é possível identificá-los, pois eles só falam da visão do seu coração corrupto, e não da boca do Senhor.

A PALAVRA SÓ TEM AUTORIDADE SE INSPIRADA PELO ESPÍRITO

1 – O inteirado na palavra não pode fugir da verdade de Deus

2 Timóteo 3.14 Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido,
Paulo um defensor e propagador da sã doutrina exorta Timóteo a permanecer praticando a palavra da qual veio sendo instruído desde a infância. Muitos falsos pregadores já despontavam naqueles tempos trazendo uma doutrina divergente ao que contém as sagradas letras. Quem está fundamentado na verdade, também está precavido contra os enganadores e não se deixa levar por falsos ventos de doutrina. Quem não se fundamenta na palavra verdadeira cai com facilidade nas teias enganosas dos falsos mestres. Isso eles pregam aquilo que o povo gosta de ouvir e não aquilo que o povo precisa ouvir. Já de longo tempo o povo sempre se inclina mais para as promessas enganosas e isso propicia um vasto campo para a disseminação constante dos que pregam o falso evangelho. (Que dizem aos videntes: Não vejais; e aos profetas: Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos coisas aprazíveis, e vede para nós enganos. Isaías 30:10). Deus não levantava profetas para falar coisas agradáveis ao povo, pois os seus mensageiros eram incumbidos de transmitir palavras de correções para despertamentos que ocorreriam se saíssem da sua zona de conforto, a fim de que, os juízos divinos não viessem sobre eles.
2 – A palavra inspirada pelo Espírito, é uma força viva à alma
2 Timóteo 3.15 E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.
Timóteo desde pequeno foi instruído nas sagradas letras, pela sua mãe e sua avó e deveria permanecer assim, para que pudesse instruir a outros, na verdadeira palavra de Deus. A palavra vinda pelo Espírito Santo é essencial para a salvação de almas, como também para a edificação de almas. A palavra sem a inspiração do Espírito não tem vida; nem tem poder para agir no coração das pessoas. A sã doutrina que é a palavra ministrada com conhecimento e sabedoria tem o propósito fundamental de orientarmos a levar uma vida de santificação, a qual é o único meio de chegarmos ao céu, pois sem a santificação ninguém verá o Senhor. A bíblia não é um amuleto e muito menos um objeto de decoração. Não basta alguém dizer que crê na Bíblia, mas sim ter a fé suficiente no Cristo que é revelado nela. Muitos conhecem a Bíblia e até mesmo o próprio Satanás também conhece, mas apenas conhecer não coloca ninguém na condição de salvo. A vida espiritual precisa ser exercitada constantemente, e isso acontece através da palavra inspirada pelo poder do Espírito Santo, que é ministrada por doutrinadores aptos em manejar a palavra da verdade. A ausência do conhecimento teológico, naquele que doutrina, acaba levando o crente por caminhos perigosos (Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Efésios 4:14).
3 – A palavra sem conhecimento e inspiração não há proveito
2 Timóteo 3.16 Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;
Toda a Escritura refere-se aos dois testamentos, ou seja, o antigo e o novo, pois um é que completa o outro. Sem o antigo, o novo não é compreendido, e sem o novo, o antigo também não é compreendido. O que os profetas e apóstolos receberam do Senhor foi incluído no Cânon sagrado, o qual é uma coleção de livros que, inspirados pelo Espírito Santo, se tornou uma regra de fé para o povo de Deus. Toda escritura obedece a uma harmonia entre as suas diversas partes e quando aceita e ouvida com fé, tem uma forte eficácia na mente daqueles que a ouvem. As escrituras na sua completude são essenciais para que a fé seja acrescentada a cada dia. Esse exercício espiritual para elevarmos a nossa fé é extremamente necessário para suportarmos e superarmos todas as adversidades que tivermos pela frente. Isso porque, sem fé é impossível agradar a Deus e a fé vem pelo ouvir, e o ouvir a Palavra de Deus. A escritura também é um guia sem erros para seguirmos confiantes no caminho da vida eterna. O evangelho verdadeiro é o evangelho da graça divina e não pode ser contradito. O que se vê mais em nossos dias é outro evangelho, tais como: da cura, da prosperidade, dos milagres, dos mantos, dos terra e outros absurdos. Porém é preciso saber que a bíblia adverte severamente quanto a isso: (Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Gálatas 1:8).
4 – O preparo e saber da Palavra são exigências ao que prega
2 Timóteo 3.17 Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.
As escrituras contém uma diversidade de fins e propósitos que são necessários ao nosso entendimento, tanto para nos corrigir, nos repreender e nos instruir. Ela é a nossa regra essencial de fé, e isso exigem de nós, que a consultemos, para seguirmos as suas orientações e preceitos, que são necessários para o nosso aperfeiçoamento espiritual. (O que rejeita a instrução menospreza a própria alma, mas o que escuta a repreensão adquire entendimento. Provérbios 15:32). Muitos querem ser pregadores por sua própria conta, sem qualquer preparação teológica para exercer tal ofício, sem se conscientizar da responsabilidade que é a prédica da Palavra. Jesus instruiu os seus discípulos no conhecimento da palavra, por um período de três anos, os quais teriam de dar seguimento ao seu ministério evangelístico após a sua ascensão aos céus. Portanto quem almeja exercer o ministério da Palavra, em primeiro lugar precisa ter chamada do Espírito para isso, e em segundo lugar deve fazer um curso teológico completo para adquirir o conhecimento mais profundo das escrituras. Quem não se esforça em investir no conhecimento teológico nunca terá a sabedoria da palavra, isto porque, a sabedoria é a revelação do conhecimento. (Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. 2 Timóteo 2:15).

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale com o Pastor Adilson Guilhermel

Google Analytics