Salvação - O Amor e a Misericórdia de Deus

Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus
Lição 4
- 22 de Outubro de 2017
Texto Áureo
: “Vós que, em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.” (1 Pe 2.10)
Leitura Bíblica em Classe
: 1 João 4.13-19
Introdução: Os judeus na sua maioria consideraram os povos gentios como indivíduos sub-humanos, pois eles se orgulhavam de serem os únicos da linhagem de Abraão e detentores das promessas divinas. Mesmos os judeus que haviam se convertido ao cristianismo, ainda assim, de alguma forma mantinham certa superioridade em relação aos cristãos oriundos dos povos gentios. Para evitar uma animosidade mais acentuada entre cristãos judeus e cristãos gentios, o apóstolo procurou corrigir doutrinariamente, principalmente os que eram gentios, em relação a sua conduta como cristãos, a qual não poderia mais ser similar à vida viciosa que levavam antes da sua conversão a Cristo. A exortação foi necessária porque muitos gentios conversos a Cristo, ainda insistiam em manter uma conduta reprovável para a sua nova condição de vida com cristão e, isso dava margem para os cristãos judeus manterem reservas contra eles. Quando nós nos entregamos para Cristo, viemos com os vícios do velho homem e, esses vícios não são eliminados totalmente ao nos tornar-nos cristãos. Na conversão houve a justificação, a qual é um ato divino, porém a salvação é um processo contínuo no qual envolve um aperfeiçoamento operado pelo Espírito Santo, o qual não pode ser interrompido para não ficarmos estagnados espiritualmente. A revelação da fé salvífica foi dada ao mundo por meio dos judeus. Os detentores dos oráculos divinos foram os judeus, o Salvador era judeu, assim também como os primeiros cristãos. Por essa razão que Jesus disse a mulher samaritana que a salvação veio por meio dos judeus, mas não ficou restrita a eles, pois pela misericórdia de Deus, ela foi estendida para toda criatura sem acepção de pessoas.
A PRESENÇA DIVINA COM O SEU AMOR É A BASE DA NOSSA CONFIANÇA.
1 – A presença divina tem sua completude quando Ele passa a viver em nós.
1 João 4.13 - Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito,

Os efeitos conseguintes da nossa salvação, que são essenciais para a comprovação de que realmente ocorreu o novo nascimento é a presença divina em nossas vidas. Todos nós ao nos convertermos a Cristo fomos imediatamente reconciliados com o Deus Pai, e a partir desse momento passamos a estar com Cristo e Ele em nós, através da pessoa do Espírito Santo. É a partir desse processo que passamos a desfrutar verdadeiramente do amor do Deus Pai, o qual é a base da nossa confiança e esperança.

2 – A presença divina em nós se evidencia quando testificamos sobre Ele.

1 João 4.14 - e vimos, e testificamos que o Pai enviou seu Filho para Salvador do mundo.

A nossa vida estando num processo de transformação contínuo, deve demonstrar que houve uma mudança significativa naquilo que éramos anteriormente, isso já é um grande testemunho perante as pessoas. Usando aqui um jargão popular: (Quem te viu, e quem te vê), é possível comentar com as pessoas que nos conheciam quando vivíamos mergulhados no lamaçal do pecado, sobre a transformação que somente Cristo pode fazer na vida de um homem. Testificar isso, já é uma excelente pregação para alguém que não conhece a Cristo.

3 – A presença divina nos constrange a confessar a deidade de Jesus Cristo.

1 João 4.15 - Qualquer que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus está nele e ele em Deus.

Quando nos convertemos a Cristo passamos a ser uma testemunha fiel do seu grande amor e misericórdia pelas almas. Isso porque nós passamos por essa experiência tão maravilhosa de conhecer e ter sido alcançado por esses atributos, os quais foram essenciais para a nossa salvação. Diante disso não podemos nos calar sobre a deidade de Cristo falando com toda confiança que Ele é o único mediador entre Deus e os homens e que ninguém vai ao Pai, se não for por Ele. Quem não confessa a Cristo como filho de Deus dessa maneira, em hipótese alguma está na condição de salvo.

4 – A presença divina nos faz conhecer e crer no verdadeiro amor de Deus.

1 João 4.16 - E nós conhecemos e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor e quem está em amor está em Deus, e Deus, nele.

Deus amou o mundo de tal maneira, com diz as escrituras, isso significa que Ele ama a todo indivíduo, porém odeia o pecado que está impregnado na alma pecadora. Portanto para uma alma conhecer e experimentar esse verdadeiro amor é necessário que esse pecado impregnado seja removido. Pelo seu grande amor, Ele deu o Seu Filho Unigênito para através do seu sangue derramado, esse pecado pudesse ser expiado. Agora, para que isso aconteça é necessário crer no Seu Filho e aceitá-lo, pois aquele que não crer está em estado de condenação para o dia do Juízo Final.

5 – A presença divina com seu amor nos dá a confiança de não irmos a juízo.

1 João 4.17 - Nisto é perfeito o amor para conosco, para que no Dia do Juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos nós também neste mundo.

Quem tem o amor de Deus em si pode usufruir de paz e satisfação de espírito, tanto nos dias bons, como nos dias maus. Tendo esse amor é que podemos sentir o quão ele é necessário para atravessarmos todos esses dias com sucesso. Quem conserva esse amor em si, evidentemente que se encontra na condição de salvo, e os salvos em Cristo estão livres e não serão réus no dia do juízo. Só irão ao Juízo final aqueles que deixaram esse amor, e os que rejeitaram esse amor.

6 – A presença divina remove do nosso interior todo temor do juízo divino.

1 João 4.18 - No amor, não há temor; antes, o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor.

A presença divina em nós traz a tranquilidade que toda alma necessita, pois sendo nós alcançados pelo seu amor estamos perfeitamente assegurados e livres de todo o temor apavorante em relação aos seus juízos punitivos. Toda alma que não tem Cristo, de alguma forma são torturados pelo pavor da morte, pois não tem qualquer certeza do que será o pós-morte. Para os que se convertem a Cristo e passa a experimentar o puro amor divino, tem todos os seus medos lançados fora, pois a presença de Deus nos dá a segurança necessária e todo temor ou pavor da morte desaparece.

7 – A presença divina mostra sermos fruto do seu amor, que enviou Cristo.

1 João 4.19 - Nós o amamos porque ele nos amou primeiro.

A bíblia diz: (tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus,). Devemos ter toda uma devoção a esse Deus, que por seu amor, nos amou quando éramos indignos desse amor tão profundo. Deus mostrou o quanto nos ama, mesmo que lhe tenha custado o sangue do seu Filho, para que fossemos reconciliados com Ele. Para que possamos viver a certeza da salvação, precisamos exprimir um amor autêntico uns pelos outros, para compreendermos o amor de Deus para conosco.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale com o Pastor Adilson Guilhermel

Google Analytics