José, O Pai Terreno de Jesus – Um Homem de Caráter



JOSÉ, O PAI TERRENO DE JESUS - UM HOMEM  DE CARÁTER
Lição 12 - 18 de Junho de 2017
Texto Áureo: Mateus 1.24 E José, despertando do sonho, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher.
Leitura Bíblica em Classe: Mateus 1.18-25

Introdução: O caráter de alguém pode ser identificado através do seu comportamento, relacionamento, atitudes e hábitos que podem ser observados exteriormente, mas nem sempre esse método é confiável. Nessa identificação se uma pessoa é um bom caráter ou um mau caráter pode haver enganos. Isso porque tem pessoas que são hábeis na arte de fingir ou aparentar ser, o que na realidade não são. Assim exteriormente é difícil fazer um diagnóstico sobre o caráter de alguém, porque o caráter está ligado ao que somos no íntimo, não tendo ligação com o que fazemos ou agimos. Isso significa que o caráter de alguém pode ser enganoso, pois muitos agem de uma forma mascarada para alcançar seus objetivos e só quando sofremos ou somos atingidos pelos efeitos maléficos desses tipos é que vamos descobrir a sua verdadeira índole. Nesse episódio é focalizado José, também predestinado a ser o pai guardião do Filho de Deus encarnado e gerado no ventre de Maria, sua noiva. Após Maria visitar sua prima Isabel, quando se confirmou estar grávida pelo poder do Espírito Santo, José tomou conhecimento da sua gravidez. Isabel e seu marido Zacarias creram nisso, pois tiveram uma experiência sobrenatural e confirmadora quando na visita de Maria, porém José, assim como qualquer outro dificilmente iriam acreditar nessa gravidez sobrenatural. Era algo que não poderia se espalhar, pois pela lei Maria seria condenada por adultério e punida até mesmo com apedrejamento. Mas José era um homem de caráter e soube controlar os seus impulsos sem usar de ações agressivas para com Maria, e procurou deixá-la discretamente a fim de não infamá-la, o que seria terrível para ela. Mas Deus mostrou que estava no controle quando enviou um anjo para revelar a José tudo em sonho sobre o que estava acontecendo, como também revelar os seus planos de encarnar o Seu Filho num corpo biológico no ventre de Maria, o qual seria o Salvador e redentor de almas no mundo.
QUEM TEM CARÁTER SABE ACEITAR TUDO QUE VEM DA PARTE DE DEUS
1. Um ser concebido numa virgem pelo Espírito Santo seria algo fantasioso
Mateus 1.18 Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo.
José e Maria estavam desposados, ou seja, com um compromisso firmado como já estivessem casados, porém ainda não viviam juntos na mesma casa, como também sem haver qualquer tipo de relação íntima. No sentido pleno, Maria ainda era virgem e de repente ela descobriu quando na visita à sua prima Isabel, que estava grávida. Ela sabia de tudo que lhe aconteceu, assim como sua prima Isabel, mas como explicar que estava grávida sem ter tido relações sexuais com José. Assim, Maria contou a José a sua situação, certamente apreensiva com a sua reação ao saber da sua gravidez. Uma notícia dessas é evidente que ninguém acreditaria, nem tampouco José acreditou quando ficou ciente do fato pela boca de Maria. O adultério pela lei de Moisés daria o direito de divórcio à parte traída, e também a parte que traiu poderia ser apedrejada até a morte. A traição por adultério pode gerar vários tipos de reações, sendo algumas resolvidas através do bom senso e outras com agressões, até mesmo fatais. Porém José era um homem temente a Deus e ponderado nas suas decisões, para não agir com agressividade. (A ira do insensato se conhece no mesmo dia, mas o prudente encobre a afronta. Provérbios 12:16).
2. Pela lei José poderia expor Maria como adultera, mas seu caráter impediu
Mateus 1.19 Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente.
A intenção de José em deixar Maria não seria boa tanto para ele, como para Maria. A atitude de José levaria outros a vê-lo em duas situações: ou como um homem traído, ou como alguém que engravidou a mulher e abandonou. Quanto a Maria, a situação dela também seria agravada, pois o povo a veria ou como uma mulher adúltera, ou como uma grávida abandonada pelo marido. Além disso, ela poderia ser inquirida pelas autoridades religiosas para explicar como aconteceu a sua gravidez. Assim se José a abandonasse ela poderia sofrer uma grave punição, pois diante da atitude de José, essas autoridades poderiam entender se tratar de um caso de adultério. Nem sempre as boas intenções levam a um final satisfatório. (Todo caminho do homem é reto aos seus olhos, mas o Senhor sonda os corações. Provérbios 21:2).
3. Deus logo se prontificou em acalmar José dominado pela perplexidade
Mateus 1.20 E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo;
Só Deus pode sondar e entender o que se passa em nosso coração. José estava com o coração despedaçado, pois ele amava Maria, e subitamente os seus sonhos de felicidade junto a ela foram desfeitos. Tanto José, como qualquer outra pessoa, jamais acreditaria que sua mulher fosse engravidada pelo poder do Espírito Santo. José não acreditou na versão de Maria, mesmo ele sendo um homem crente e temente a Deus. Essa perplexidade de José não poderia continuar, e Deus vendo que ele não acreditou que Maria estava grávida pela virtude do Espírito Santo. Assim Deus projetou a José em seu sono, um anjo para fazê-lo compreender tudo o que estava acontecendo com a sua mulher. Deus mostrou que Maria estava inserida nos seus planos para encarnar o Espírito do Seu Filho, a fim de realizar a sua obra redentora aqui na terra. (Gálatas 4:4 Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei,).
4.  Deus mandou José adotar Jesus para ter direito legal na linhagem de Davi
Mateus 1.21 E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.
Quando Deus fala, não há o que se duvidar ou contestar. Assim José compreendeu que tanto ele como Maria estava inseridos dentro dos seus planos para trazer o Salvador ao mundo. Sendo José da descendência de Davi, a profecia sobre a trajetória da semente da mulher já quase concluída com a gravidez de Maria precisava ter um desfecho final. Esse desfecho só seria finalizado se José assumisse Jesus como o seu pai adotivo. Essa oficialização como pai adotivo daria o direito legal e civil para Jesus fazer parte da linhagem de Davi. Assim José ciente de tudo assumiria Jesus como filho sem qualquer restrição, para amá-lo, proteger, cuidar, instruir, como todo bom pai deve fazer com os seus filhos. (Não diz a Escritura que o Cristo vem da descendência de Davi, e de Belém, da aldeia de onde era Davi? João 7:42).
5. A profecia a respeito foi citada para não haver dúvidas no coração de José
Mateus 1.22 Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz; Mateus 1.23 Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de Emanuel, Que traduzido é: Deus conosco.
Ainda em revelação por sonho, Deus procurou tirar qualquer dúvida que estivesse incutida no coração de José a respeito da gravidez de Maria. O Deus que nos sonda no oculto e no profundo conhece os limites do nosso entendimento, e nesse caso Deus procurou ampliar esse entendimento no coração de José. E para alguém compreender os mistérios divinos, os textos que contém a parte profética a respeito da encarnação do Espírito de Cristo, não deixariam qualquer margem de dúvida na mente de José. Quando Deus diz a virgem conceberá estava mostrando a condição de Maria, que foi fecundada, mas ainda continuava virgem. Portanto Maria daria a luz um filho na condição de virgem. Também o nome de Emanuel, que significa Deus conosco mostra a José que ele um pecador, não poderia ser o pai biológico do Deus Filho. (E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai. João 1:14).
6. Quando a mensagem é de Deus não deixa qualquer dúvida ao receptor
Mateus 1.24 E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher;
Como Deus não é Deus de confusão, qualquer confusão que perturbava a mente de José foi totalmente esclarecida durante o seu sono. O que estava caminhando para o irreconciliável, de repente, graças a intervenção divina, com as revelações necessárias durante o sono de José, se tornou reconciliável. Tudo isso foi possível, porque José não foi desobediente à visão divina. Todos os seus sentimentos e intenções anteriores caíram por terra. José e Maria não se conheceram ou se uniram por acaso, pois eles estavam inseridos nos planos de Deus em relação a vinda do Messias. (Não separe, pois, o homem o que Deus uniu. Marcos 10:9).  
7. José compreendendo a orientação divina fez tudo como lhe foi ordenado
Mateus 1.25 E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus.
Na revelação divina foi mostrada a questão da virgindade de Maria, para que José, enquanto no período da gestação do Cristo em carne, ele não poderia ter relações sexuais com ela. Isso porque a profecia dizia que o Messias nasceria de uma virgem, o que demonstra que ela não poderia ser tocada em todo esse período. Assim mesmo já tendo celebrado o contrato de casamento com Maria, José manteve-se afastado dela enquanto durou o seu período de gravidez, pois no seu ventre estava um ser sagrado, ou seja, Jesus. Devemos entender que Jesus é chamado como o filho primogênito, pois posterior ao seu nascimento, José e Maria tiveram filhos e filhas, como a palavra de Deus confirma: (Não é este o filho do carpinteiro? Não é Maria sua mãe? Não são seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? E suas irmãs, não vivem todas entre nós? Donde lhe vem, pois, tudo isso? Mateus 13:55,56).
 

Esboço e Comentário elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel - Th.M

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale com o Pastor Adilson Guilhermel

Google Analytics