Benignidade: Um Escudo Protetor Contra as Porfias

 BENIGNIDADE: UM ESCUDO PROTETOR CONTRA AS PORFIAS 
Lição 7 - 12 de Fevereiro de 2017 
Texto Áureo: "Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo." (Ef 4.32) 
Verdade Prática: A benignidade na vida do crente torna-o uma testemunha do amor de Deus. 
Leitura Bíblica em Classe: Colossenses 3.12-17 
Introdução: A benignidade significa entre outras coisas, a ausência da malignidade no coração do homem. Sendo a benignidade um fruto do Espírito, ela só poderá ser desenvolvida em nossa vida quando demonstrarmos que verdadeiramente o amor de Deus está presente em nossa conduta e atitudes para com o nosso próximo. O mandamento nos ordena a amar o próximo como a nós mesmos, como também expressa que se alguém diz que ama a Deus e não ama o seu irmão é considerado um mentiroso. Portanto quem não desenvolve o fruto da benignidade demonstrando um caráter íntegro, não pode ser uma pessoa identificada como um cristão autêntico. O oposto da benignidade, que é uma virtude divina é a malignidade, que é algo do Diabo. Quem tem um coração maldoso e rancoroso não pode dizer que é de Deus, pois essas qualificações negativas não o identificam como tal. Alguém com o coração maldoso simplesmente acabam dando espaço ao trabalho do Diabo, porque ao invés de lutar contra os dominadores deste mundo, persiste em lutar contra a carne e o sangue. Se alguém nos magoa, intencionalmente ou não, e não liberamos perdão para essa pessoa, começaremos a desenvolver uma raiz de amargura que endurece cada vez mais o nosso coração. A pessoa que vive desejando o mal da outra pessoa acaba trazendo o mal para si própria. Não devemos tratar os outros segundo a vontade do Diabo e sim conforme a vontade de Deus. Tendo o fruto da benignidade evitamos as dissensões e não abrimos espaço para Satanás agir em nossa vida.
BENIGNIDADE: NUNCA DEIXE DE EXERCITAR ESSA VIRTUDE
1 - VESTIR-SE DAS VIRTUDES DIVINAS É OBRIGAÇÃO DOS ELEITOS DE DEUS
Colossenses 3.12 Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; 
Aqui nós encontramos uma recomendação aos irmãos de colossenses à prática do amor fraternal, ou seja, o amor entre os irmãos. Na condição de salvo em Cristo precisamos entender que na presciência de Deus, Ele já havia nos escolhido ou elegido nele, desde antes da fundação do mundo. Significa que embora alguns levassem muito tempo para tomar uma decisão por Cristo, Deus na sua presciência sabia que um dia isso iria acontecer. Como eleitos de Deus devemos ser separados do mundo pecaminoso e demonstrarmos uma conduta irrepreensível diante de todas as pessoas. O fruto da benignidade deve ser notório para com todos que objeto de misericórdia. O Senhor disse para sermos misericordiosos, assim como o nosso Pai é misericordioso. A palavra diz: Bem aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia Mt 5.7. O fruto da benignidade deve estar presente em nossa vida e ativo para com todas as pessoas. Ser uma pessoa benigna é importante na evangelização das pessoas, no sentido de obter confiança, para que através disso chegarmos à parte objetiva, que é promover a reconciliação com Deus. A benignidade também se vincula a humildade e esta só é verdadeira não apenas quando demonstramos um comportamento humilde, mas isso não é a essência da humildade, pois a sua essência está necessariamente numa mente humilde. Ser humilde envolve entre outras coisas, a submissão com aqueles que estão hierarquicamente acima de nós, assim como numa situação inversa sermos condescendentes com os que estão na condição de subalternos. A benignidade também está relacionada com a longanimidade, a qual é uma virtude que controla as nossas impulsividades. Isso aplicado conjuntamente em nossas vidas é um fator importante para evitar porfias, que envolve iras, pelejas, disputas, discórdias, inimizades e muito mais. Devemos ser longânimes também no sentido de evitar insultos e provocações de outras pessoas. A longanimidade é um atributo divino e a palavra diz que Ele é longânime para conosco e por esta razão também assim como faz o Senhor devemos exercitar a longanimidade para com outros. 
2 - VESTIR-SE DO PERDÃO PARA POR TERMO A QUALQUER DISSENSÃO
Colossenses 3.13 Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. 
A benignidade implantada e exercitada é uma qualificação importante no sentido do relacionamento entre os irmãos. Enquanto estivermos nesse mundo a nossa luta contra a carne é constante, pois sempre estamos sujeitos a contendas, rixas e outras desavenças, as quais precisam ser suportadas e contidas. O fruto da benignidade é notado em nossas vidas quando aprendemos a perdoar um ao outro nessas situações, sem guardar nenhuma raíz de amargura, como também suportarmos as afrontas e procurar ignorá-las. O perdão vai mais além do que pensamos, pois não basta suportarmos as ofensas sem esboçarmos reações vingativas, pois também envolve perdoar aqueles que nos ofendem. Se assim não for, os sentimentos rancorosos ficarão instalados em nosso coração e conquentemente entraremos em declínio espiritual, pois nessa condição a nossa comunhão com Deus fica prejudicada. (Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta. Mateus 5:23,24).
3 - VESTIR-SE DO AMOR DIVINO UNIFICA AS DEMAIS VIRTUDES ESPIRITUAIS
Colossenses 3.14 E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. 
O amor é a mais importante virtude cristã, pois sem o amor, jamais haverá qualquer outra virtude implantada em nossas vidas. Ele é a semente inicial, que produzirá as demais sementes a serem implantadas em nós para uma vida espiritual frutífera. A união das demais virtudes espirituais só será demonstrada quando temos o amor governando as nossas vidas. O amor é tão importante que devemos entendê-lo como o elo da perfeição, significando que é a graça ligando todas as demais graças. O Espírito Santo só exercerá em nós o trabalho de desenvolvimento espiritual se o amor e as demais virtudes estiverem presentes em nossa vida, caso não haja o amor e as demais virtudes a nossa espiritualidade está completamente estagnada. Isso acontece geralmente quando o crente está sendo doutrinado pelos falsos mestres. 
4 - VESTIR-SE DA VIRTUDE DA PAZ DEMONSTRA UM CORAÇÃO AGRADECIDO
Colossenses 3.15 E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos. 
Devemos fazer um exame introspectivo para sabermos se verdadeiramente estamos em paz com Deus. Para termos a certeza disso devemos nos certificar se estamos vivendo em harmonia entre os irmãos, caso isso não esteja acontecendo a paz que pensamos ter é falsa. (De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Tiago 4:1). A palavra diz: O quão bom e com suave é que os irmãos vivam em união. Isso significa que devemos viver juntos em amor e harmonia, mas nem sempre isso é constante, porém deveria ser. A paz de Deus opera em todos que são verdadeiramente dele, pois fomos chamados para essa paz e essa paz com Deus veio através da nossa reconciliação com Ele e, por conseguinte, a paz com nossos irmãos como nosso dever. Somos o corpo de Cristo e seus membros em particular, sendo que cada um deve estar enquadrado naquilo a qual foi chamado.
5 - VESTIR-SE DA PALAVRA É ESSENCIAL PARA O NOSSO COMPORTAMENTO
Colossenses 3.16 A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao SENHOR com graça em vosso coração. 
O segredo para que haja transformação em nossa vida, está em permitirmos que a Palavra habite, ricamente em nós, pois sem ela, não haverá a transformação necessária. A palavra é tão importante para nós individualmente, como também para promover a comunhão com os irmãos na congregação. Algo que prejudica muito o desenvolvimento espiritual dos crentes, está relacionado a questão doutrinária. A carência de doutrina é explícita em muitas congregações evangélicas e isso traz um grande prejuízo na vida das pessoas, onde algumas nem podem afirmar com convicção que a palavra habita ricamente em seu coração. A palavra de Deus deve necessariamente governar os nossos pensamentos, as nossas palavras e as nossas ações, para que a nossa vida venha a ser frutífera espiritualmente. (Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra. 2 Timóteo 3:16,17). A palavra habitando ricamente em nossos corações significa que nos esforçamos para termos um conhecimento necessário para ensinarmos outras pessoas. Devemos aproveitar o tempo que estiver reunido, seja na congregação, ou em nossos lares, para devocionais ao Senhor e não desperdiçarmos tempo com conversas fúteis sem qualquer proveito.
6 - VESTIR-SE DE CUIDADO, POIS PALAVRAS E AÇÕES FAZEM BEM OU MAL
Colossenses 3.17 E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.
Tudo que fizermos para o reino de Deus e que será aceito por Ele deve necessariamente estar sendo praticado com um espírito voluntarioso. Deus não quer nada feito por obrigação e sim por conscientização e devoção, pois não estamos sob o jugo do homem e sim no de Cristo. Devemos deixar voluntariamente que o Espírito Santo, o qual habita em nosso interior, tenha completo domínio da nossa vida. Servir a Deus nunca pode ser uma obrigação e sim um grande privilégio, pois não estamos servindo a qualquer um e sim o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Servir a Deus deve ser motivo de alegria e gratidão por tudo que Ele tem feito em nossas vidas. (Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor. 1 Coríntios 15:58).

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Google Analytics