Adotados por Deus - Escola Dominical Esboços da EBD / Perseverando na fé Escola Dominical Esboços da EBD / Perseverando na fé: Adotados por Deus

Adotados por Deus


 Lição 11 - Adotados por Deus 
10 de Dezembro de 2017 - Dia da Bíblia
Texto Áureo: “Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez, estardes em temor, mas recebestes o espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.”(Rm 8.15)
Leitura Bíblica em Classe: Romanos 8.12-17
Introdução: Vós não me escolhestes a mim, mas eu vos escolhi a vós. Esse é um dos princípios que envolvem sermos adotados por Deus, porém dependeu de termos aceitado as condições para que essa adoção se tornasse uma realidade. Entre essas condições, a primeira é o pecador reconhecer a sua situação de miserabilidade e crer que somente Cristo pode tirá-lo desse estado. A segunda é aceitá-lo como o seu único e suficiente Salvador e se dispor a segui-lo em obediência por todos os dias da sua vida. Nesse caso sendo justificado e reconciliado com Deus, entra na condição de salvo regenerado. Em todo esse processo sobrenatural, o adotante, que é Deus, nos adota como filho, porém isso não significa que o processo de adoção já esteja consumado. A finalização do processo de adoção vai depender da nossa conduta como crentes em Cristo. No meio secular o adotante de uma criança fica com ela por um período de observação e no caso da criança ser aprovada, ela é adotada definitivamente e passa a condição de filho, com todos os direitos legais, incluindo o de herança. Agora no caso do filho adotado não corresponder, ele é devolvido às autoridades que cuidam disso. Assim também somos nós; Deus nos adotou, mas essa adoção só nos levará a condição de filhos, se agradarmos em tudo o nosso adotante, caso contrário essa adoção será cancelada e o destino será o juízo final. Assim de adotados nesse plano terreno, ao chegarmos à condição de filhos definitivamente teremos o direito legal de sermos herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo.

I - O CONCEITO BÍBLICO DE ADOÇÃO
1. O conceito bíblico e teológico na adoção.
Efésios 1.5 E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade,
Deus ama tanto o seu Filho unigênito, que quis ter mais filhos parecidos com o seu Filho. E para sua própria glória lhe agradou escolher e adotar dentre um mundo perdido muitos para serem seus filhos semelhantes ao seu unigênito. A lei levava os filhos de Israel em direção a cruz, mas sem a condição de adotados, condição essa que se deu somente após a cruz, não num sentido exclusivista a Israel, mas a todos os povos da terra, que professam Cristo como Senhor.
2. Os benefícios da adoção se levada a sério.
Ef 2.19 Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus
Na condição de adotados passamos a fazer parte da família divina, e só continuaremos nessa condição se formos obedientes aos preceitos bíblicos em relação a nossa conduta como salvos em Cristo. É preciso lembrar que fomos tirados do reino das potestades das trevas, e incluídos no reino espiritual estabelecido pelo Senhor Jesus Cristo. Se não levarmos a sério essa nova condição de vida, que nos encaminha para a filiação eterna seremos considerados bastardos e não entraremos no reino de Deus.
3. Herdeiros da promessa e adotado para filho.
Rm 8.16 O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.
Nosso próprio espírito passa a ter a consciência da adoção a qual alcançamos, pois nessa condição passamos a ter um relacionamento com o Deus Pai, o qual nunca houve em toda nossa trajetória de vida anterior a conversão a Cristo. Todo esse relacionamento só é possível pela presença do Espírito Santo, que testifica em nosso coração, que fomos adotados por Deus. Temos uma herança incorruptível e incontaminada, a qual é eterna guardada no céu para nós, mas para alcançar essa herança é preciso caminhar guiados pelo Espírito Santo.
II - A ADOÇÃO NO TEMPO PRESENTE
1. Ser parecido com Cristo é condicional à adoção.
1 João 3.2  Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos. 3  E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro.
A partir do momento que entregamos a nossa vida a Cristo passamos da condição de pecador, para a condição de filhos adotados de Deus. Nessa condição a manifestação visível do que havemos ser, ainda não teve lugar, pois isso só ocorrerá quando o corpo espiritual alcançar a glorificação. (Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. 2 Coríntios 3:18). Só alcançaremos a glorificação se estivermos livres de toda mancha e imundície.
2. O filho adotado deve buscar ser amado pelo Pai.
1 João 3.1  VEDE quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele.
Deus em seu amor inigualável adotou-nos com filhos, não por causa da nossa justiça, mas para provar que somos salvos por Sua graça. Nunca fomos merecedores desse ato salvífico, pois isso só pode acontecer por causa do Seu grande amor por nós. A finalidade nos seus propósitos é nos dar o Seu amor para que possamos alcançar a condição de sermos adotados como seus filhos. (E aquele que me enviou está comigo. O Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe agrada. João 8:29).
3. Os direitos e os deveres na adoção é exigência.
Apocalipse 21.7  Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.
Deus quer que sejamos luz nesse mundo de trevas e que façamos boas obras para que os pecadores vejam em nós algo que glorifique o nosso Deus. Israel ilustrado como galhos foram quebrados porque suas obras eram más, e o Senhor nos enxertou no lugar deles, nos fazendo participantes do Seu alimento espiritual. Se eles como galhos foram quebrados imaginem o que será dos ramos. Estamos no mundo, mas não somos do mundo, portanto o nosso relacionamento com o mundo deve ser de separação e não de mistura. Não podemos andar coxeando entre dois pensamentos.
III - A ADOÇÃO PLENA NO FUTURO
1. Só seremos filhos eternos se aprovados na adoção.
Romanos 8.18 Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada. 23  E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo.
Como adotados de Deus não estamos isentos de aflições nesta caminhada rumo à glória, onde alcançaremos definitivamente a condições de filhos. Portanto não devemos nos concentrar nos sofrimentos de hoje e sim olharmos para frente, em direção à glória do amanhã. Esse nosso cativeiro doloroso a qual temos que enfrentar a cada dia, se transformará com certeza absoluta na liberdade gloriosa do amanhã promissor. É caminhando como fé que chegaremos a esse destino glorioso. (Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. João 16:33).
2. Esperando a adoção completa ao sairmos do mundo.
1 Tessalonicenses 4.17 Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.
Os adotados por Deus alcançarão a condição de filhos no momento do arrebatamento, desde que passem por todos os testes de fidelidade e compromisso com Deus. Nesse evento os mortos em Cristo estarão sob condição de igual vantagem com os que se acharem vivos na Sua vinda para buscar a Igreja. A partir desse evento estaremos sempre com o Senhor na condição de filhos eternos de Deus. (Se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará; 2 Timóteo 2:12).
3. A adoção só será plena ao chegarmos à casa do pai.
1 Pedro 2.11  Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma;
Como adotados de Deus somos exortados a caminhar de acordo com a nossa vocação, diferentemente da nossa vida de velha criatura, para que possamos estar revelando aos incrédulos que a glória de Deus esta presente em nós. Devemos nos conscientizar que após a nossa conversão a Cristo passamos a ser forasteiros e peregrinos nessa terra, na qual estamos habitando por um tempo, até sermos levados para a nossa pátria eterna em outra dimensão, ou seja, o céu. Nessa caminhada terrena não devemos jamais nos envolver com as concupiscências que guerreiam contra a nossa salvação. (Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; 1 Pedro 1:14). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale com o Pastor Adilson Guilhermel

Google Analytics