A santíssima trindade: um só Deus em três pessoas

A Santíssima Trindade: um só Deus em três Pessoas Lição 3 - 16 de Julho de 2017 Texto Áureo: "Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.“ (Mt 28.19) Leitura Bíblica em Classe: I Coríntios 12.4-6; 2 Coríntios 13.13,14
Introdução: Ao falarmos do conceito da trindade divina, entendemos que esse conceito está fundamentado e essencialmente sobre duas premissas: a primeira é que o monoteísmo é uma verdade absoluta. A segunda é que a divindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo também é uma verdade incontestável. Desse modo temos um único Deus, mas três pessoas divinas, porém isso não da margem alguma para que interpretemos em termos de triteísmo. Isso porque, o triteísmo entende que existem três deuses, e isso contradiz o monoteísmo que é revelado nas Escrituras Sagradas. Quem tem a visão triteísta na realidade vai contra a teologia judaica e a cristã, isso porque o triteísmo é uma forma de politeísmo, pois entendem a trindade como sendo três deuses, e isso é inconcebível aceitar esse pensamento. Quem defende o triteísmo ignora a personalidade do Deus filho e do Deus Espírito Santo, e não preserva o monoteísmo. Deus é triuno, portando quando falamos a palavra Deus, estamos nos referindo a Deus Pai, ao Deus Filho e ao Deus Espírito Santo conjuntamente. Agora isoladamente podemos nos referir ao Deus Pai, ao Deus Filho e ao Deus Espírito Santo. O Deus Pai é o planejador de todas as coisas, O Filho é o criador de tudo, O Espírito Santo é aformosear tudo. Para entender o que é a unidade na Trindade, tomemos, por exemplo, a água nos suas três formas: sólido, líquido e gasoso, vemos que tudo é água, mas cada forma tem uma função. A declaração de Cristo aos seus discípulos para batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, revela explicitamente a triunidade divina ligando o Deus Filho ao Deus Pai e ao Deus Espírito Santo. Essa declaração de Cristo revela que em todo o processo de salvação a triunidade está presente. Em primeiro lugar o Deus Pai planejou salvar os pecadores antes da fundação dos séculos pelo seu grande amor. Em segundo lugar o Deus Filho realizou a obra de salvação dando a sua vida em sacrifício. E em terceiro lugar o Deus Espírito Santo, guia os salvos em Cristo no caminho da verdade para que ninguém se perca.
ENTENDENDO AS OPERAÇÕES DIVINAS NA VISÃO TRINITÁRIA
1 - É o Espírito que reparte particularmente a cada um os dons espirituais
1 Coríntios 12.4 Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
O consolador, o Espírito Santo veio para dar continuidade ao ministério de Cristo, no que é concernente a Sua Igreja, a qual deu o seu passo inicial no dia do Pentecostes. Os cento e vinte que estavam no cenáculo ao receberem o batismo com o Espírito Santo foram dotados de dons espirituais para o ofício a qual foram destinados a exercer. É importante observar o aspecto trinitário que envolve todos os dons espirituais, os quais devem ser entendidos como procedentes de uma mesma fonte, como também objetivando o mesmo propósito. Assim não há como negar que a trindade divina está completamente envolvida na questão da origem e nas operações dos dons espirituais. (Testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade? Hebreus 2:4). Os dons são ferramentas para o árduo ofício de promover a propagação do evangelho e para o bem-estar da igreja. Assim como os milagres de Cristo em sua peregrinação terrena eram operados pelo poder do Espírito, assim também, Ele usa aqueles que estiverem abertos e dispostos a servi-lo sem largar a mão do arado.
2 - É Jesus Cristo o responsável pela diversidade de ministérios na igreja
1 Coríntios 12.5 E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo.
A chamada e a escolha para o ministério é um atributo de Cristo (E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Efésios 4:11). Muitos procuram a revelia buscar títulos principalmente o de apóstolo. Ignoram que os apóstolos foram uma escolha pessoal de Cristo, os quais Ele próprio consagrou. Eles são chamados "fundamentos da igreja" e receptadores originais da revelação primária de Cristo. Matias foi consagrado pelos apóstolos com o uso do Urim e o Tumim, porém não foi autenticada por Cristo. (E, lançando-lhes sortes, caiu a sorte sobre Matias. E por voto comum foi contado com os onze apóstolos). O lugar ocupado para preencher o lugar do traidor Judas foi dado a Paulo, uma escolha pessoal de Cristo, que o separou e o consagrou para tal ofício. Portanto esse ofício não pode ser transferido. Portanto a questão de sucessão apostólica é um dogma humano, totalmente contrário a doutrina do N.T. Quem se intitula apóstolo é um usurpador de título que busca ostentar algo que não tem respaldo algum para tal. Quanto aos demais ministérios existem sucessão, mas desde que os pretendentes a esse ofício tenham preparo teológico e outras qualificações que abrange principalmente um caráter íntegro e chamado para tal.
3 - É o Deus Pai, a fonte e a origem de toda a energia espiritual em todos
1 Coríntios 12.6 E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
Paulo expressa uma ênfase no sentido trinitário na questão de todas as operações efetuadas, nesse caso envolvendo a igreja. O dom vem de Deus, isso envolve a trindade, a administração do dom envolve a trindade, a energia para usar o dom envolve a trindade. Assim tudo que acontece vindo do reino espiritual, para agir na igreja com todas as operações milagrosas, são feitos totalmente divinos e não podem jamais exaltar o homem. A unidade na trindade opera em todos os sentidos numa ligação harmoniosa em todos os feitos realizados, tanto no reino físico, como no reino espiritual entendendo que a triunidade divina está presente em tudo. Podemos citar alguns, como nos sacramentos (ceia),(batismo), na conversão, nas pregações, manifestação dos dons e muito mais.
4 - A trindade opera para que haja paz e harmonia e a união entre irmãos
2 Coríntios 13.13 Todos os santos vos saúdam.
Para que a trindade divina possa operar harmoniosamente no seio da igreja também existem condicionais importantes e necessárias. Isso porque a igreja é um corpo que forma uma unidade e para que a unidade da trindade possa estar ligada a nossa unidade, ela precisa estar nutrida pela paz entre os membros desfrutando de paz verdadeira em nossa comunhão. (Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros. Romanos 12:5). A manifestação do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso, pois são instrumentos que devem ser usados para a edificação, e não para recreações que extrapolem a ordem e a decência que o culto requer.
5 - A bênção da Trindade é rica, pois envolve graça, amor e a comunhão
2 Coríntios 13.14 A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós. Amém.
A bênção trinitária não pode ser entendida como uma questão formal ou costumeira. Essa bênção deve ser recebida com total reverência acompanhada de um amém vindo do coração e não da boca para fora. A bênção do Deus triúno aos crentes deve ser entendida como algo riquíssimo, pois ela produz efeitos importantes e necessários para a nossa vida espiritual. Em primeiro lugar ela fala da graça, um favor não merecido (Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Efésios 2:8). Em segundo lugar fala do amor de Deus (Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16). Em terceiro fala da comunhão do Espírito (Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? 1 Coríntios 6:19

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale com o Pastor Adilson Guilhermel

Google Analytics